Governador Mangabeira, cinquenta anos de história

 O município de Governador Mangabeira, 138 km de Salvador, comemora no dia 14 de março, cinquenta anos de emancipação política. A programação comemorativa que iniciou no dia primeiro, é uma demonstração da ação que há no município de preservação história e construção de valores cívicos e de cidadania.

Um ciclo de palestras foi agendado. Temas como, o aspecto histórico do município, saúde da mulher e violência doméstica, esta dividida em três grupos: destinado às trabalhadoras rurais, à terceira idade, e às servidoras pública, ciganas e mulheres da sociedade em geral. Aos adolescentes o tema se relaciona a direitos sexuais e reprodutivos. Além de um debate sobre a presença feminina na história do município.
 
Está marcado para o dia 13/03 inauguração de obras na sede e zona rural do município. No dia 14, hasteamento da Bandeira, apresentação do histórico da emancipação, missa solene na Igreja da Matriz, show com Padre Antônio Maria, na Praça Castro Alves. No dia 18 acontece à corrida do cinquentenário e o I passeio ciclístico, programação voltada ao combate às drogas e em defesa da vida.
 
A história do município começa quando ainda se chamava vila de Cabeças, então pertencente ao município de Muritiba. Governador Mangabeira foi escolhido como forma de homenagear o ex-governador da Bahia, Otávio Mangabeira. Vários aspectos contribuíram para a emancipação, dentre eles, a condição econômica que a vila de Cabeças sustentava. Na sede existiram vários armazéns de fumo, que chegavam a exportar o produto até para a Europa.
 
Essa situação de desenvolvimento econômico foi fundamental para que o Governo do Estado instalasse em 1959 na sede da vila uma coletoria de impostos, que teve como chefe o senhor Agnaldo Viana Pereira, que mais tarde se tornou o primeiro prefeito da cidade. A mobilização popular também deve destaque nos debates que antecederam a emancipação do município. E em 14 de março de 1962, a lei 1.639, transformou a vila de Cabeças em município.

Comentários

    Não há comentário

Comentar