Chapada Diamantina terá plano piloto de recuperação do café

 A Chapada Diamantina, conhecida mundialmente, dentre outras qualidades por produzir o melhor café do Brasil, entre eles o que é consumido pelo Papa Francisco I no Vaticano, terá um plano emergencial para recuperação da cafeicultura desenvolvida pelos pequenos agricultores. Na abertura do V Encontro de Produtores Rurais de Barra da Estiva e Região, o secretário estadual da Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, anunciou que um projeto piloto será desenvolvido envolvendo os municípios de Mucugê, Ibicoara, Barra da Estiva, Ituaçu e Piatã. "Os secretários de Agricultura desses municípios vão elaborar um projeto piloto de custeio dos cafezais que contemple poda, calagem, e fertilização dos solos", desafiou Salles, informando que o projeto vai atender aos produtores mais carentes e que estejam organizados em associações.

O evento, encerrado no sábado (27), reuniu mais de cinco mil participantes. O objetivo foi capacitar os pequenos e médios produtores, disponibilizando informações e conhecimentos técnicos sobre a agricultura familiar e as novas tecnologias usadas no campo.
 
“Mas é importante que a região não fique dependente da monocultura do café”, afirmou o secretário, destacando que a Chapada tem vocação para a produção de morangos, como já está sendo feito pela empresa Bagisa Agropecuária, do município de Ibicoara. ”Nosso sonho é ver o grande produtor apoiando o pequeno, e isso a Bagisa vai fazer”, comemorou Salles, informando que “a empresa topou o desafio e vamos implantar um cultivo de morango com a agricultura familiar, no sistema de integração com a Bagisa”, anunciou.
 
O diretor da Bagisa, Mauro Bannach, explicou que 21 pequenos produtores já foram selecionados, nos municípios de Mucugê, Barra da Estiva e Ibicoara, para iniciar o projeto. Inicialmente será implantada uma pequena área, de 1,15 hectare, com produção estimada de 40,3 toneladas de morangos/ano, das quais 28,2 serão de morango de mesa e 12,1 para a indústria.
 
Mauro informou que o morango é cultura que dará sustentabilidade ao pequeno produtor, com produção durante dez meses, colhendo os frutos duas ou três vezes por semana.
 
Transformação econômica
 
De acordo com Eduardo Salles, quase 100% do morango consumido na Bahia é importado do Espírito Santo, “mas nós podemos mudar essa realidade e transformar essa região numa das mais importantes produtoras de morango do Brasil”. Além da parceria com a Bagisa, o projeto vai contar com a participação da Seagri, através da Ebda, do Sebrae e das secretarias de Agricultura municipais.
 
Outros desafios para a região foram citados por Vivaldo Mendonça, diretor executivo da CAR. “A Conab está propondo a inclusão do café na cesta básica da Bahia, integrando política pública com processo de comercialização”, disse ele, destacando ainda que “a oferta de água é condição básica para convivência com o semiárido, e com essa visão estamos trabalhando para universalizar na região as cisternas para consumo humano”.
 
Para o secretário César Lisboa, o evento é referência para toda a região. “Esse município tem atividade voltada para o desenvolvimento do homem no campo, que faz com que o governo do Estado mantenha parceria mais estreita e ajude a potencializar o esforço do município para o desenvolvimento da agropecuária. Temos sempre presença marcante neste no encontro, porque o nosso desejo é que esse tipo de atividade possa se expandir para outros lugares”, disse.
 
Barra da Estiva se destacou na produção do melhor café natural em 2012, durante o 11º Concurso de Cafés da Bahia, promovido pela Associação dos Produtores de Café da Bahia (Assocafé), em Vitória da Conquista. O município é líder na produção da agricultura familiar do café na Chapada Diamantina. A atividade proporciona a geração de aproximadamente dez mil empregos diretos, na época de colheita, e quatro mil na temporada da entressafra.
 
Além do secretário Eduardo Salles o evento contou com a presença do Secretario de Relações Institucionais César Lisboa. Participaram também da abertura oficial do evento o prefeito de Barra da Estiva, Adriano Pires; o diretor geral da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia, Paulo Emílio Torres; o diretor executivo da Car, Vivaldo Mendonça; o presidente da Assocafé, João Lopes; representantes dos bancos do Brasil, do Nordeste e da Caixa Econômica Federal; prefeitos e secretários de Agricultura dos municípios da região, e o reitor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Paulo Roberto Pinto, dentre outros.
 

Comentários

    Não há comentário

Comentar

REVISTA DIGITAL

revistaCG

TV CARO GESTOR

TVCG