Município de Eunápolis chega aos 61 anos

 Há 61 anos, no dia 5 de novembro de 1950, o padre Emiliano Gomes Pereira, pároco de Porto Seguro, celebrava no então acampamento dos trabalhadores da Construtora Emenge, a pedido do engenheiro-chefe da empresa, Antônio Gravatá Filho, uma missa campal para marcar a inauguração do acampamento da empresa naquele local. 

A Emenge construiu o ramal, hoje BR-367, e o acampamento mudara de local algumas vezes, acompanhando a construção da estrada. Foi nessa missa que, durante a homilia, o padre Emiliano proferiu a fase: “Aqui há de surgir um centro progressista, onde cristãos haverão de elevar bem alto os nomes de Jesus e do Brasil”, que se tornou célebre e profética para o povo eunapolitano. 
 
Na ocasião, no local foi erguido um Cruzeiro, que não existe mais, que deu a primeira denominação à praça do *Praça do Cruzeiro, e aquele dia consagrado como a data da criação do povoado. 
 
A partir daí, o 5 de Novembro passou a ser comemorado como a data mais importante do povoado, com grandes festas e a celebração de uma missa naquele local. 
 
Até que no ano de 1989, após a emancipação, a tradição foi extinta, e o 12 de maio, data da criação do município, assumiu a condição de data maior. 
 
Em 1995, numa tentativa de resgate da memória local, a celebração do 5 de Novembro voltou a ser feita, porém, uns dois anos depois foi esquecida novamente, e a data caiu definitivamente no esquecimento.
 
*Essa denominação foi mudada depois para Praça da Bandeira, Praça do Jacaré e, no final da década de 90, passou a ser denominada de Praça Dr. EunápioPeltier de Queiroz. Uma homenagem ao engenheiro e ex-secretário de Viação e Obras Públicas do Estado da Bahia, que aqui esteve em 07 de março de 1954, inaugurando uma etapa da obra da rodovia BA 2, hoje BR-101. 
 
Durante a sua permanência no povoado, sensibilizado com os pedidos dos moradores para que o Estado adquirisse uma área de terra, permitindo assim a expansão do povoado, o secretário efetivou a compra de cinco alqueires das fazendas Boa Nova e Gravatá. A aquisição permitiu a expansão da povoação e a criação do hoje centro urbano de Eunápolis.
 

 

Comentários

    Não há comentário

Comentar